segunda-feira, 12 de maio de 2014

Fela Kuti - Expensive Shit (1975)




Continuando um pouco na pegada Funks-da-Nigéria, decidi postar esse disco do Fela, que é da mesma época retratada pela coletânea Nigeria Disco Funk Special (último post), uma época de ouro para uma (contra-) cultura que foi se desenvolvendo na Nigéria.

“Expensive Shit”, uma merda cara. Além do nome do disco, uma bela história, devo dizer. Esse é um dos discos que mais gosto do Fela e é sempre bom saber da história por trás de tal produção: uma luta política com o intuito de prender, mais uma vez, Fela Ransome Kuti.

Na década de 70, Fela tinha acabado de voltar dos EUA, após ser expulso por conta de problemas com seu visto. Após jam sessions com os J.B's, e contato com a literatura e cultura dos panteras negras e movimentos negros voltava para casa com uma grande bagagem de novas influências. (Re-) fundou a banda Africa 70 (na verdade apenas renomeou-a), e fundou a Kalakuta Republic, um espaço para os músicos e suas familias morarem, fazerem festas, além de ser um estúdio também (eles tinham até clínicas de saúde de graça lá dentro!). Frente essas movimentações de Fela, o Estado nigeriano não estava muito “feliz”: se tratava de um período de repressão e opressão política, e Fela era uma figura de grande importância para a contra-cultura, para os movimentos socias que estavam acontecendo, assim como um importante ativista: uma figura de grande prestígio social e político.

(Uma curiosidade que acho interessante é que nessa época Fela declarou a Kalakatu Republic como sendo não mais pertencente ao Estado da Nigéria, e sim um espaço independente e autônomo).

Qual a melhor forma que a polícia achou para incriminar ele? Colocar um baseadão (um cigarro de maconha), e pegar ele no flagra. O que deu errado? Antes de a polícia chegar, Fela conseguiu engolir tal baseado, sendo então detido até que a substância fosse expelida por seu corpo. De alguma forma ele conseguiu que sua merda saísse “limpa”, sendo então liberado. Li por aí que, de alguma forma muito misteriosa, ele conseguiu que levassem as fezes de um colega seu ao invés de suas próprias. Após o episódio (e dando origem ao nome do disco) Fela declarou que sua merda era uma “merda cara” (expensive shit).

Gravado e lançado em 1975, com apenas duas faixas Expensive Shit/ Water No Get Enemy é um disco muito foda. A primeira faixa, com um tempo mais “para frente”, começa com uma guitarra muito swingada, que se mantem a música inteira, sem perder a compostura. Junto dela, começam também o que acredito ser um chocalho e um pedaço de madera sendo batido com um ferro (que também se mantem ao longo da música inteira). Rola uma pequena intro de piano elétrico e tambor, e logo entra o resto da banda: impossível de ficar parado.
Continuam rolando uns solinhos de piano eletrico até a entrada do naipe de metais: um êxtase, uma explosão, não sei direito. Um arranjo muito bem feito, que mantem a influencia da música norte-americana, sem perder a sonoridade característica da música nigeriana.

É meio nessa pegada que a música segue, com alguns solos de metais, alguns outros de piano elétrico, até que com um grito, parecendo até meio “desajeitado”, no susto, Fela da voz a sua luta política. Devo confessar que ainda não sei direito do que fala, pois, como se trata de um dialeto chamado Nigerian Pidgin, uma mistura do inglês com um dialeto creole, não consegui entender tudo que é dito.

Water No Get Enemy já é uma música mais “sussa”, mais “poética”, mas, mesmo assim, sem perder o balançado. A música, ao contrário da outra, já começa com todos os elementos/instrumentos sendo apresentados: um belo “riff”de metais e um pianinho elétrico de matar. Segue então para um refrão, e depois solos. É mais ou menos essa a estrutura da música, não por isso deixa de ser menos interessante, ou importante, ou foda.

Faixas:
  1. Expensive Shit
  2. Water No Get Enemy
(Ambas de autoria de Fela Ransome Kuti).



Link para download nos comentários, e até a proxima!