terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Secos & Molhados - Secos & Molhados (1973)


O Brasil vivia os anos de chumbo, a censura trabalhava com eficácia e a repressão era certeira e violenta. Daí chegam uns homens quase travestidos, com rostos pintados e letras provocantes e começam a cantar por aí. Esses são os corajosos Secos & Molhados.
João Ricardo foi o mentor da banda. A formação inicial incluía Pitoco e Fred, que logo saíram do grupo. João conhece Ney Matogrosso (Ney de Souza Pereira) que acaba virando o vocalista. A eles se juntaram Gripa (flautista), John (guitarrista), Marcelo (baterista) e Willy (baixista). Três meses após esta formação estar estabelecida foi gravado o LP. Foi um sucesso, vendeu mais de um milhão de cópias e até a capa foi premiada.
O disco é musica brasileira com um toque de rock and roll. Zé Rodrix tem participação em algumas músicas e várias composições de João Ricardo contam com a colaboração de Manuel Bandeira, Vinicius de Moraes, Paulinho Mendonça, entre outros. Todas as músicas são muito boas, é difícil escolher só uma. A primeira faixa é “Sangue Latino”, uma poesia musicada na forma de balada em tom de ré. A segunda é por todos conhecida, “O Vira”, virou patrimônio histórico brasileiro. “Primavera nos Dentes” e “Assim Assado” evidenciam a crítica do grupo a ditadura militar. A primeira é um blues com uma bela letra que defende a liberdade e glorifica a luta contra o sistema. “Assim Assado” conta a historia de um velhinho que encontra o Guarda Belo (personagem do desenho Manda-Chuva) que não gosta da cor do velho e resolve matá-lo, pois não acredita na tal cor. E a cor, meus caros, é o vermelho. Por ultimo devo citar “Rosa de Hiroshima”, na minha opinião uma das mais bonitas musicas brasileiras, uma súplica pela paz.
Há quem diga que o grupo se inspirou nos Dzi Croquettes, há quem jure de pés juntos que a banda estadunidense Kiss na verdade imitou os Secos & Molhados, e não só nas pinturas no rosto. Sendo isso verdade ou apenas uma suposição maluca, o grupo foi muito importante politicamente e representou muito bem o movimento artístico de resistência à ditadura, balançando os alicerces do direitismo.

Faixas: 1. "Sangue Latino" (João Ricardo/Paulinho Mendonça)
2. "O Vira" (J. Ricardo/Luli)
3. "O Patrão Nosso de Cada Dia" (J. Ricardo)
4. "Amor" (J. Ricardo/João Apolinário)
5. "Primavera nos Dentes" (J. Ricardo/J. Apolinário)
6. "Assim Assado" (J. Ricardo)
7. "Mulher Barriguda" (J. Ricardo/Solano Trindade)
8. "El Rey" (Gerson Conrad/J. Ricardo)
9. "Rosa de Hiroshima" (G. Conrad/Vinicius de Moraes)
10. "Prece Cósmica" (J. Ricardo/Cassiano Ricardo)
11. "Rondó do Capitão" (J. Ricardo/Manuel Bandeira)
12. "As Andorinhas" (João Ricardo/C. Ricardo)
13. "Fala" (J. Ricardo/Luli)


link nos comentários.

5 comentários:

Anônimo disse...

http://rapidshare.com/files/127903242/Secos_e_Molhados_1973.rar

Alex disse...

qual é a senha?

Renée disse...

senha? password??

ariadne disse...

Gente, pelo amor de deus, comé que 6 colocam um link aqui sem a senha?

Anônimo disse...

Link pro flac:
http://thepiratebay.se/torrent/6959498/Secos_e_Molhados_-_1973_-_Secos_e_Molhados_(LP_Rip_FLAC)_[jarax4

Link pra Mp3
http://thepiratebay.se/torrent/5235806/Secos_e_Molhados_-_Secos_e_Molhados[1973]