sexta-feira, 2 de julho de 2010

Walter Carlos - Switched-on Bach (1968)

Wendy Carlos (antes Walter), foi um músico que já começou cedo: com seis anos de idade, já tomava aulas de piano. Muito estudioso, formou-se na universidade e começou a trabalhar, musicando. O tempo passou, a tecnologia se aprimorou: O sintetizador, que começou a ser esboçado no fim do século XIX por um sujeito que resolveu brincar de telefones e tirar um som deles, se aperfeiçoou.
Walter conseguiu um nome no meio da música, e não somente da eletrônica. Trabalhou fazendo diversas trilhas sonoras, sendo a mais reconhecida dele a de Laranja Mecânica, de Stanley Kubrick, em 1971. Uma explicação/curiosidade: Walter descobriu que era mulher por dentro, e fez uma cirurgia de mudança de sexo, tornando-se Wendy Carlos.
Em 1968, Walter decidiu montar, com um Moog (modelo de sintetizador), diversas obras de Bach. O resultado foi o disco “Switched-On Bach”, onde Walter tocava clássicos de Bach, tal qual “Jesus, Alegria dos Homens”, mas sempre com uma cara tecnológica e atual. O disco ganhou renome na época, e chegou até a ganhar o Grammy de Melhor Álbum Clássico. Há quem diz que o álbum foi influenciado pela era da pisicodelia, mas não cabe comparar.
Para quem não conhece Bach, ele foi um grande compositor alemão do século XVIII-XVIII, que dominava os recursos da fuga, e do contraponto. Fez parte do que chamamos atualmente do movimento barroco, para o qual atribuísse-se os valores de rebuscamento, contraste e cristandade. Foi pouco conhecido enquanto vivo, mas famosíssimo morto. Não que a morte valorize a obra, mas tem certos artistas que se encaixam melhor em tempos que não são deles.
Em “Switched-on Bach”, Carlos executou divinamente (sim, divinamente! Isso é sonzeira barroca!) a essência de Bach, mesmo que a transmutando para a atualidade. O disco é bem fragmentado, e nele tudo que Bach deixou de legado pode ser percebido. Seja pela fuga presente em “Two-part Invention in D Minor” e em “Two-part Invention in F Major”, ou pela cristandade de “Jesus, Alegria dos Homens”.
E é claro que Carlos não transcreveu ipsis litteris as partituras de Bach para seu Moog. Há subversão, inovação, basta escutar dez segundos de “Brandenburg Concerto No. 3 In G Major, II-Adagio [First, 1968 Version]”.
Como o barroco tratava de contrastes, vistos nas artes plásticas com o preto e o branco, nada melhor que tornar o barroco na atualidade um contraste, interpretando e olhando-o através de uma lente tecnológica.
Wendy Carlos é gênio(a).

Faixas:

Lado A

1. "Sinfonia to Cantata No. 29"
2. "Air on a G String" (from Orchestral Suite No. 3)
3. "Two-Part Invention in F Major"
4. "Two-Part Invention in B Flat Major"
5. "Two-Part Invention in D Minor"
6. "Jesu, Joy of Man's Desiring" (from Cantata No. 147)
7. "Prelude and Fugue No. 7 in E Flat Major" (from Well-Tempered Clavier)

Lado B

1. "Prelude and Fugue No. 2 in C Minor" (from Well-Tempered Clavier)
2. "Chorale Prelude" "Wachet Auf"
3. "Brandenburg Concerto No. 3 in G Major - I-Allegro"
4. "Brandenburg Concerto No. 3 in G Major - II-Adagio"
5. "Brandenburg Concerto No. 3 in G Major - III-Allegro"

linke nos coments, comparça!

6 comentários:

Batistti disse...

http://www.mediafire.com/download.php?psjnzv0xzbj

C. Maravilha disse...

esse link aí tá errado... é de um outro disco, também do walter carlos, mas vem com 20 faixas sem nome e fora de ordem.
tenta nesse aqui que é certo:
http://rapidshare.com/files/366807076/Switched_On_Bach.rar

Mr Info disse...

Tenho o LP original de 1968 e a regravação em Cd de Switched on Bach... Este disco foi sem dúvidas o responsável pela minha paixão por música barroca, bem como minha iniciação na flauta... Walter (Wendy) Carlos é um virtuose...

O Switched on Bach II pode ser baixado no seguinte link http://www.filestube.com/2d213a18a20764fd03ea/go.html

Também é sensacional. Parabéns pela iniciativa.

Peter disse...

muito louco o disco! parabéns!

Batistti disse...

Agradecimentos a Mr Info pelo link!

Anônimo disse...

Foi o "start" do mundo dos sintetizadores, não é a toa que Keith Emerson ficou doido pelo álbum e se tornou uma lenda hehehee... Wendy Carlos é mulher rsrsrs